sábado, 13 de dezembro de 2014

Playlist - Debate entre Autores - Partes 1 a 5

Boa tarde, queridos leitores! Segue a lista de reprodução com todos os vídeos que compõem o Debate entre os Autores de Ficção na Íntegra, espero que gostem.

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Vídeo: Debate entre Autores de Ficção - parte 1 de 5 (e fotos)

Boa tarde, queridos leitores... Segue a primeira parte (de cinco) do debate realizado neste domingo, na V Convenção de Ficção Científica, na Biblioteca Municipal de Campinas e também algumas fotos.


Fábio Barreto, José Raphael Daher, Acácio Brites, Jota Marques e Adriana Ruiz



 

domingo, 30 de novembro de 2014

5ª Convenção de Ficção Científica - Bate-Papo entre Autores (hoje, às 16h30)

Bom dia, queridos leitores!

Abaixo segue a programação do evento que participarei hoje e o link para a página da prefeitura com um artigo sobre as atrações.

10h10 Arquivo X – Episódio How the Ghosts StoleChristmas

10h55 Farscape - Episódio Revenging Angel

11h30 Almoço

12h30 Palestra - Astrobiologia - Palestrante Valeria Forrer Parte 2o

13h40 Doctor Who - 8.01- Especial de Natal 7oano – The Time Of The

14h40 Apresentação – Star Trek

15h Star Trek - Enterprise - Episódio Dear Doctor

16h Amyr Cantúsio – “Som das Estrelas”

16h30 Bate-papo com autores de ficção científica sobre o tema “Os Alienígenas na Literatura”

V Convenção de Ficção Científica
Data: 30 de novembro, domingo
Horário: das 10h às 18h
Local: Biblioteca Municipal “Ernesto Manoel Zink” - Rua Benjamin Constant, 1.633, Centro
Entrada gratuita

5ª Convenção de Ficção Científica será domingo na Biblioteca Municipal

sábado, 22 de novembro de 2014

A Sci-Fi de Volta ao "Mainstream" com INTERESTELAR (Sem Spoilers)


Christofer Nolan sempre foi um dos meu diretores/roteiristas preferidos, desde Amnésia (Memento). Ao ver o trailer de Interestelar eu sabia que eu precisaria assistir, mas quanto mais o lançamento se aproximava, mais eu temia uma decepção, quanto mais as pessoas que já haviam assistido perguntavam e falavam, mais eu temia que ele não pudesse me surpreender.

Mas, ainda bem, todos meus medos foram dissipados... Interestelar não apenas é um ótimo filme, como certamente trará uma onda de Sci-fi espacial com ele nos próximos anos e... Aguardem, certamente teremos muitos estudantes se candidatando às profissões de Engenharia Aeroespacial, Física ou até na área militar aeronáutica para futuramente se tornar um astronauta.

Eu sei, muita gente falará que o Gravidade é quem abriu as portas para o gênero... Pode até ser, infelizmente eu ainda não assisti, mas duvido muito que consiga chegar aos pés de Interestelar. Aliás, eu diria que se não fosse o filme com Bulock ter saído antes, Interestelar provavelmente se chamaria Gravidade.

Neste post não vou falar nada sobre o filme especificamente, já tem muita gente explorando isso na Internet o que eu quero fazer é agradecer a Nolan por conseguir colocar nas telonas uma Sci-Fi de tanta qualidade e quem sabe (nada contra, mas já tava na hora) abrindo alas entre os filmes de vampiro, bruxos, seres mitológicos etc.

Muitas outras Sci-Fi tem aparecido nos últimos anos mas, me perdoem, nenhuma delas eram nomes de peso ou, se eram, não eram roteiros originais, ou seja, eram remakes (como Robocop) ou baseadas em livros como Jogos Vorazes. Fazia muito tempo que não se via uma produção Sci-Fi original e ainda por cima na telona...

Espero que este filme não apenas inicie (ou consolide) uma nova era para a Ficção Científica no cinema, como desperte o interesse de jovens (ou do público em geral) pela ciência, astronomia, astrofísica, cosmologia...

Um grande abraço a todos, e gostaria de terminar com uma citação do filme:

"Como diz a terceira Lei de Newton: a única maneira de se chegar a algum lugar é deixar algo para trás".

ps - e para quem ainda não viu nada sobre o filme, fica o trailer:

sábado, 25 de outubro de 2014

1ª Feira do Livro de Campinas - Fotos do Debate

Boa noite, meus queridos leitores!

Seguem duas fotos do evento de hoje, a feira estava ótima, mas poderia ter mais gente! O espaço era grande e comportava bem... O debate foi ótimo, ótimas perguntas e ótimas respostas! (não vou fazer piada com outros debates que andam acontecendo por aí...). Logo mais teremos um  vídeo dos melhores momentos! Agradeço à Base Estelar Campinas e à Coordenadoria de Bibliotecas de Campinas!





segunda-feira, 20 de outubro de 2014

J.R.Daher na 1ª Feira Municipal do Livro de Campinas


Boa tarde, queridos leitores!

Nesta quinta se inicia uma Feira do Livro em Campinas, na Estação Cultura, vejam a fan page:

https://www.facebook.com/estacaocultura

Estarei participando em um debate com outros colegas escritores, no Sábado, dia 25 às 15h!

Estão todos convidados!

vejam a página do evento no face

domingo, 1 de junho de 2014

Godboy: O Garoto Deus

Boa tarde, queridos leitores!!!

Meu novo lançamento finalmente está disponível na loja Kindle!

Como agora meu portfólio não está restrito ao Gêmeos.Virtuais (sem contar as coletâneas), este blog vai passar por uma reformulação em breve...

Segue o link para a compra: Godboy - O Garoto Deus (por J.R.Daher)

para uma amostra para o Kindle: Godboy - Amostra

e para o software KindlePC: KindlePC Download

E abaixo, uma amostra para quem não tem como instalar o Kindle no momento, espero que gostem

***           ***

GODBOY
O GAROTO DEUS
Por J.R.Daher
 
Episódio 1

— Eu estava pensando em escrever um outro livro – diz o garoto.
— Também de ficção? – diz o amigo.
— Mais ou menos... Um livro sobre um garoto que está escrevendo um livro sobre um garoto que pode fazer tudo o que quiser, como se fosse Deus. Mas eu não sei o que escrever, nem como terminar. Mal inventei um nome para o protagonista.
— Ah... Ele podia usar seus poderes, depois ver que alguma coisa que fez não é certo, apesar de ser Deus.
— É... Podia até ser... Mas eu queria fazer algo que falasse sobre tudo. Sem a pretensão de ser original e que a tudo fizesse referência. Essa própria ideia inicial me faz lembrar o filme Adaptação.
— É... E esse lance de ser Deus também já foi usado em vários filmes.
— Sim, mas ele não iria ser Deus porque Deus lhe teria concedido seus poderes, ou porque acharia um artefato mágico, coisa e tal…
— E como iria ser?
— Ele iria ser Deus pelo simples fato de acreditar que pode fazer tudo.

O garoto toma mais um gole do suco e continua:

— A gente sabe que na vida real isso seria estranho, apesar de ser virtualmente possível. Mas, a gente não consegue acreditar de verdade. Acreditar mesmo! Sabe?
— Sei... – diz o outro com um pouco de comida na boca.
— Então ele, o personagem do meu livro, pensa: “E se minha vida fosse a história de um livro?”... Como num livro tudo é possível, ele pode fazer o que quiser, pois a realidade dele é apenas a ideia de alguma outra pessoa que está escrevendo sua história.
— É, parece legal... Você deve escrever mesmo.
— Se é que já não existe alguém escrevendo essa história por mim... Escrevendo a minha vida.
— Você acha que nossa vida pode ser simplesmente um livro? Que autor teria a capacidade de criar um mundo todo como o nosso? Tão cheio de relações e detalhes?
— Primeiro: nossa vida pode ser um livro. Segundo: Deus não seria o autor? E terceiro: se o livro estivesse começando agora, o escritor não teria tido tempo de descrever todo nosso mundo e, para ele, existiriam apenas nós dois.
— Bom... Esse papo tá muito legal, apesar de eu não acreditar que estava conversando sobre esse tipo de viagem, mas tudo bem... Eu tenho que ir, senão vou chegar atrasado pra aula.
— Beleza... Falou!

        O amigo se levanta e paga sua conta. E, enquanto isso, o garoto termina sua refeição. Fica um tempo pensando, como se seus pensamentos fossem palavras lidas por alguém. Como se ele fosse o narrador de uma história, para um leitor curioso ou desocupado que, dentre tantas histórias para serem lidas, escolheu logo esta.

* Como acreditar que posso tudo? De onde vem essa certeza do extraordinário? Como fazer para aceitar que posso voar, assim como é possível existir este vidro de vinagre? Só a existência deste frasco já é uma coisa inacreditável! Mas nós nos acostumamos a aceitar que ele existe. Por que não nos acostumarmos com a ideia de que podemos de repente sumir e... Ou dar um beijo naquela gatinha que vai passando e que nunca verei de novo? *

        O garoto limpa a boca, levanta-se, põe a mochila nas costas, paga sua conta e pega o caminho do ponto de ônibus. Andando um pouco avoado, por estar com essa ideia fixa de ser Deus, ele fita o chão, ou o céu, tentando acreditar que seria possível fazer tudo o que desejasse, simplesmente por querer.
        Invadindo as profundezas dos seus embolados monólogos mentais um crescendo de um grito ridiculamente agudo e persistente chama-lhe a atenção e quando ele olha calmamente para sua direita vê um carro em alta velocidade vindo em sua direção. No para-brisa ele enxerga seu reflexo e dentro de seus olhos refletidos no vidro ele continua se vendo infinitamente.
        Aquela seria sua última chance de poder acreditar em algo, seria a prova final. Serenamente ele estica o seu braço e, com o punho direito firmemente cerrado, leva a mão em direção ao capô do carro. Como se percebesse que os outros na rua achavam aquilo absurdo insistiu apenas pelo gosto da contradição.
        Quando ocorre o impacto uma orquestra de metais se retorcendo brindam aquele momento tão inesperado. O garoto não se mexe um milímetro e o carro empina a traseira. O vidro se racha aos poucos e se estilhaça enquanto a motorista do carro o atravessa sendo lançada ao ar. Tudo acontece muito devagar, como nas cenas em câmera lenta utilizadas até a exaustão pelos cineastas. O garoto se pergunta por que se colocaria uma descrição dessas em seu livro a não ser por modismo, já que, para fins dramáticos, o autor poderia escrever de outro modo. Mas aconteceu assim, porque parecia mais instintivo, pois as coisas aconteciam mais como se fossem uma memória emergente do que um fato real. E, neste momento, ele percebeu que podia: ele podia tudo!
        Os cacos do vidro e os pedaços da lataria voam contra ele. A motorista voa sobre sua cabeça. Para evitar que ela se estatelasse no chão, ele agarra seu braço com a mão esquerda e, por alguns segundos, ela ondula lentamente, como uma bandeira resistindo ao arrasto do vento.
        Com as rodas dianteiras quase enterradas no asfalto, o carro continua empinando, cada vez mais lentamente. O capô se dobra para abraçar o garoto e as rodas dianteiras se entortam para fora atirando as calotas para longe, rodopiando com um zunido grave. Os cabos e mecanismos do motor cedem ao impacto e começam a estourar. Uma nuvem de fumaça é expelida com um forte chiado e começa a cobrir todo o local. Em poucos segundos nada mais pode ser visto.
        Só é possível ouvir um clangor e um pouco da fumaça se dispersa. O carro havia caído para trás. Em meio às nuvens de fumaça é possível ver dois vultos: o do garoto e o da motorista, que ainda pairava no ar. Ele a desce lentamente, como se fosse uma pluma e a deita no chão.
        Pessoas se aproximam e o garoto a abraça. Muito ferida e ensanguentada, ela abre os olhos com dificuldade e olha para ele.

— Deixe-me morrer – ela diz com dificuldade — Por favor.
— Sim... Entendo – responde o garoto.

        Ela desfalece. E ele, sem um pingo de remorso, levanta-se e continua caminhando em direção ao ponto de ônibus.

— Espere! – gritam as pessoas.
— Como fez isso?
— Ela está bem?
— Quem é você?

        Lentamente o garoto para, olha por cima do ombro esquerdo, esboça um sorriso maroto e diz com uma voz baixa, quase rouca:

— Eu tudo posso, ela está morta e… podem me chamar de Godboy.

*** continua no Episódio 2... ***

link para a compra: Godboy - O Garoto Deus (por J.R.Daher)

terça-feira, 18 de março de 2014

Calourada no IFGW

Bom dia, queridos leitores e internautas!

Na quarta-feira passada, dia 12/03 eu participei do evento para os calouros do Instituto de Física Gleb Wataghin.

No dia o evento contou com as atrações: Palestra (comigo), Show da Física, Sorteio de Livros e Lanchinho.

Foi a primeira vez que apresentei esta palestra, que prometi elaborar desde o ano passado. Eu acho que o resultado foi muito bom, mas posso melhorar...

Abaixo seguem algumas fotos, e o link para o album que mostra todo o registro do evento vem em seguida.

Aguardando a Palestra ter Início

Sendo apresentado por Sandra

Palestrando

Recebendo uma lembrança

Os 3 ganhadores de um exemplar de Gêmeos.Virtuais

Show da Física (Nitrogênio Líquido)

 Assistindo ao Show da Física

 Hora do Lanche

Confraternizando

Conversando com os calouros

Por fim, gostaria de agradecer ao André (Coor. da Biblioteca), à Mônica (Coord. do Cursão) e especialmente à Sandra Cartaxo (Chefia da Biblioteca da Física), pelo convite para participar deste evento magnífico, e desejar a todos os participantes e alunos uma ótima vida acadêmica, cheia de aprendizado!

quarta-feira, 5 de março de 2014

Palestra na Calourada Unicamp



Caros leitores,

Na semana que vem, dia 12 de março (2014) farei mais uma palestra, agora na calourada da Unicamp.

Acabei de preparar um novo material, como eu havia prometido no aniversário dos Gêmeos.Virtuais no ano passado...

Estou ansioso, depois eu volto para contar mais novidades e como foi a apresentação!