segunda-feira, 14 de setembro de 2015

REVIEW - Mushi-Shi VS Arquivo-X

Boa tarde, queridos leitores!

Talvez vocês estejam se perguntando o motivo desse VERSUS aparentemente esdrúxulo. Bom, para mim o motivo reside simplesmente no fato de que o clima das duas séries é semelhante.

Os Arquivos-X me cativaram logo de início, nos anos noventa, com episódios não apenas bem escritos, às vezes independentes, mas mesmo assim seguindo uma trama de fundo que os ia ligando pouco a pouco.

Já Mushi-Shi, recente série de animação japonesa, me chamou atenção nos comerciais do CrunchyRoll, pela beleza das imagens e seres sobrenaturais.

Mas agora, vamos nos concentrar mais em cada uma das séries...

X-Files


O que dizer sobre um dos maiores fenômenos televisivos da história? Ao lado do interminado Twin Peaks e de outros mais recentes, os Arquivos-X serão lembrados para sempre, entre fãs da série e entusiastas ufólogos.

Afora o mote principal, que é o sumiço (ou abdução) da irmã do protagonista durante a infância, o foco marcante de Arquivos-X é a dualidade entre Mulder e Scully; enquanto o primeiro é completamente crente na existência de fenômenos sobrenaturais e, principalmente, de extraterrestres, a segunda é completamente cética e, por uma ironia roteirizada, ela nunca está presente nos momentos em que fica evidente a existência de algo mais, ainda não explicado pela ciência tradicional, formal.

A história entre eles é um romance velado. É nítida a química entre os dois, mas é muito bem desenvolvida para que não se torne piegas (demais, às vezes). Isso em conjunto com as conspirações do próprio FBI para boicotar as pesquisas de Mulder, enriquece a série de modo que você tem diversos temas e personagens para se identificar.

Mulder é o "sabe-tudo", e sempre atribui os acontecimentos misteriosos (que normalmente vemos no início do episódio, antes mesmo da abertura) à extraterrestres. Scully sempre nega estas hipóteses e o episódio sempre segue essa linha, com acontecimento cada vez mais estranhos, e algumas pistas que finalmente levam à solução parcial (e raras vezes total) do mistério.

Mushi-Shi


Ginko, o "herói" da série, é um Mushi-Shi, ou seja, uma pessoa que tem capacidade de ver e lidar com estes seres elementais da natureza chamados Mushi. Ele viaja pelo japão da época feudal, passando de vilarejo em vilarejo, catalogando espécies de Mushi, desenhando-os, anotando seus hábitos, desvendando mistérios e curando as pessoas com remédios e métodos completamente não ortodoxos.

Ele tem muito conhecimento deste mundo paralelo, que a grande maioria das pessoas não pode ver, mas pode ser afetada por seus habitantes esquisitos, causando enfermidades, depressão, ou lhes conferindo poderes sobrenaturais, mas sempre acompanhados de um tipo de "maldição", que certamente levará a morte de si mesmo, ou de outrem.

A característica mais marcante da série é o clima calmo, mesmo quando se narra eventos quase hediondos, a trilha sonora de fundo com instrumentos tradicionais do japão e o andamento vagaroso, bem como são os filmes japoneses de outrora.

A série me conquistou rapidamente, dado meu interesse em coisas sobrenaturais, mas não é difícil para qualquer um se apaixonar pela série, sendo ela tão bem feita, ficando entre o cult e o pop japonês, agradando sem se vulgarizar.

COMPARAÇÃO FINAL

- X-Files tem um mote traumático revelado logo de início, Mushi-Shi deixa isso mais nebuloso e narra aos poucos.
- X-Files tem uma antagonista, Scully e um romance, Mushi-Shi se concentra apenas em Ginko.
- X-Files tem conspirações e histórias de fundo, enquanto Mushi-Shi se concentra nos desafios de cada episódio.
- Mushi-Shi tem episódios mais curtos, e a ausência de antagonista e de conspirações permite desenvolver melhor a narrativa dos episódios individuais e se focar mais nas emoções do ser humano do que na ação e no mistério propriamente dito.
- Ambas são séries envoltas em mistérios criativos e originais, que mexem com nosso imaginário.
- Mushi-Shi busca (quase) todas as explicações de males e doenças em seres de outro plano de existência, os Mushi, enquanto X-Files tenta explicar (quase) tudo com a existência de extraterrestres.
- Ambas as séries vão prender sua atenção e fazer você assistir episódio atrás de episódio, mas Mushi-Shi faz isso sem que você se preocupe com um mega-enredo que liga todos (ou muitos) acontecimentos dos episódios, enquanto Arquivos-X faz muito do oposto, prende você mais com a trama de fundo e com o romance, do que com os mistérios individuais, a medida que se avançam as temporadas.