domingo, 13 de outubro de 2013

10 Anos de Historia - Parte 5 - Atirando para Todo Lado

Em 2009 e 2010, minha dedicação foi em divulgar Gêmeos.Virtuais da melhor maneira que eu pudesse. Preparei um apêndice para o livro, um vídeo, participei do Prêmio São Paulo e finalmente elaborei uma palestra sobre a importância da literatura. Estando praticamente sozinho nessa empreitada, aos poucos eu fui conseguindo vários colaboradores.

Talvez eu não consiga colocar os fatos cronologicamente, então vou descrevê-los da maneira que melhor me lembro.

Todo início de ano minha irmã, que na época trabalhava na Komedi, me lembrava de que haveria mais uma coletânea. Dessa vez eu aproveitei um texto que contava a infância de Alef, que escrevi em em meados de 2007. Trata-se de um capítulo, que escrevi com muito carinho, mas era voltado para quem já havia lido o livro, pois, lê-lo antes de Gêmeos.Virtuais pode estragar algumas surpresas no enredo.

Então, com o YouTube em sua melhor forma eu decidi preparar um vídeo sobre o livro (um tipo trailer do livro) para ajudar na divulgação. Na edição figuravam cenas de guerra, fotos, partes de jogos e até alguns segundos de filmes. Por um tempo este vídeo me agradou muito, mas depois eu comecei a achá-lo um pouco inapropriado para a divulgação. Recentemente eu o removi do Internet, e não pretendo postá-lo novamente até ter uma melhor edição.

Em fevereiro um ótimo evento apareceu: o 1ºFILC (Festival Internacional da Leitura de Campinas) e Renata Sunega, por indicação de Rosângela Reis (da Coordenadoria Setorial de Bibliotecas de Campinas), me convidou a participar do evento com um bate-papo sobre literatura. O evento foi na Estação Cultura (antiga estação ferroviária) e foi um evento sensacional. Confesso não ter me preparado à altura do evento. Minha apresentação foi ótima, mas mais pela participação da platéia do que outra coisa. Sorteei alguns livros e fiz muitos contatos interessantes. Abriu-se uma porta magnífica para minha "carreira" como escritor.

Um poco depois foi minha vez de participar de uma outra coletânea, por coincidência também editada pela Komedi. Mais uma vez à convite da Coordenadora Rosângela, fui um dos escolhidos para o projeto "Encontro das Artes" de Renata Sunega e Hermélio Silva. O projeto consistia em uma mistura muito feliz de literatura (traduzida para Inglês e Espanhol) e fotografias da cidade de Campinas. Pelo espaço que me foi concedido escolhi uma poesia chamada "Quando Viajo à Noite".

Nesse meio tempo tomei conhecimento do Prêmio São Paulo de Literatura de 2009, que continha duas categorias: Melhor Livro e Melhor Livro de Autor Estreante, ambos de 2008. Recebi o convite para a cerimônia de nomeação dos premiados, com direito à acompanhante.  O mais estranho é que eu não havia recebido nenhum comunicado de quem seriam os finalistas. Eles foram anunciados em um evento, mas eu não fiquei sabendo. Então, ainda na esperança cega de vencer (sei, parece uma piada patética) eu decidi ir. Precisei faltar ao trabalho e minha irmã se prontificou a me acompanhar (assim como a minha mãe, Ana Maria, minha irmã sempre me deu um apoio incondicional às minhas empreitadas literárias). O evento foi no Museu da Língua Portuguesa e parecia coisa de primeiro mundo. Bom, ao saber os finalistas fiquei um pouco revoltado, confesso, mas não foi nem pelo fato de não estar entre eles, mas foi pelo fato de que, entre os finalistas havia um livro cuja temática se assemelhava ao meu "GodBoy", que esteve em um concurso três anos antes. Não estou afirmando que me roubaram a ideia, de modo algum, mesmo porque, mais tarde fui notar que minha ideia não tinha nada de novo, Michael Ende já a havia usado em "A História sem Fim". No entanto, fiquei irritado por notar que eu estava alguns anos à frente de uma opinião favorável dos acadêmicos em literatura.

Ao final de 2009 foi meu último fôlego literário. Eu entrava no meu conhecido "bloqueio", muito conhecido entre os escritores. Meus últimos contos foram "Antes do Natal", inspirado pelo anúncio do "Projeto Natal" da Microsoft e "O Buraco nas Bermudas", inspirado nas teorias de John Hutchison sobre o "Triângulo das Bermudas". Eu também parava de escrever aquele meu "projeto secreto" no quarto livro sem ao menos terminar o segundo capítulo... Deixei apenas um arquivo com toda cronologia da série, um dicionário de um dialeto inventado e mais alguns arquivos de referência.

No entanto, em 2010 minha dedicação se voltou para outra direção: "Gêmeos.Virtuais: Ideia, Expressão, Leitura e Vocabulário", este é o nome da palestra que preparei para divulgar meu livro e reforçar a importância da literatura. Na palestra, com um tom cômico e de duração de aproximadamente 45min (em sua versão completa), eu contava um pouco da história que contei nessa última série de posts, sobre as influências que tive na escrita, sobre como eu passei a receber as críticas, como melhorei minha capacidade de leitura e como isso afetava minha conexão com o mundo através de um vocabulário mais rico e apropriado.

A palestra foi um sucesso. Apresentada pela primeira vez no 2ºFILC, para o qual tive novamente a honra de ser convidado. Depois ela foi apresentada no Poli-Bentinho, na FITEL (Fundação Instituto Tecnológico de Logística) e na Escola Estadual Prof. Antônio "Alves Aranha", onde meu pai, Alcínio (também sempre muito dedicado a me ajudar da divulgação do livro), ministra aulas. Nos anos seguintes, uma versão "mini" desta palestra foi apresentada em Convenções de Ficção-Científica da Base Estelar de Campinas, à convite de Walmir Martins por indicação de minha colega de dança Flamenca, Adriana Ruiz. Uma amostra desta palestra pode ser encontrada no Slideshare.net (Ap. GV Amostra).


No próximo post, a história vai chegando aos 10 anos, com a Parte 6 - Recarregando as Baterias.