quinta-feira, 3 de outubro de 2013

10 Anos de História - Parte 3 - Abraçando o Virtual

De 2005 para 2006 eu já havia escrito mais dois contos e retomava um grande projeto de 2001 - cuja ideia inicial veio de uma discussão para um trabalho de Introdução à Filosofia, virou um jogo de videogame abandonado pela metade para o RPGMaker - mas agora, na forma literária... Mas a essa altura eu já havia desistido de publicar qualquer coisa no mercado literário.

Dois dos meus contos preferidos eu terminei antes de 2007, são eles: "Video+Life", que é um tipo de conto de suspense, com elementos futurísticos e oníricos, que narra a obsessão de um rapaz com seu diário perdido e um reality show extremamente bizarro (entre outras coisas mais obscuras), e o outro é "Un Real", que conta a história de uma cédula desenhada por um grande pintor moribundo. É um tipo de humor ridículo e absurdo, que traz no fundo uma mensagem crítica.

Terminados estes contos, entre uma poesia e outra eu comecei a transformar em livro o jogo de videogame que eu sabia que nunca conseguiria terminar sozinho. Não foi (e não está sendo) uma tarefa fácil, conseguir traduzir a linguagem feita para jogos eletrônicos em páginas de um livro, tentando ao mesmo tempo ser fiel à ideia original, mas ainda ter a sensação de estar escrevendo um livro, e não apenas narrando algo que "aconteceria em um jogo". Até agora me lembro de estar escrevendo o primeiro paragrafo, ainda preso às imagens ao roteiro que eu mesmo havia criado no jogo, mas tentando ao máximo fazer uma adequação da linguagem e da narrativa.

Eu não quero entrar em muitos detalhes, e nem quero revelar o nome da história, pois ela ainda não está pronta, porém gostaria de adiantar que, assim como "A Canção do Mundo Caído", esta história ocorre no mesmo "universo" de Gêmeos.Virtuais e, por incrível que pareça, apesar dela ter surgido antes, não tive que fazer muito sacrifício para unir as pontas destas três histórias; as coisas foram se encaixando quase que naturalmente e, na verdade, me sobrou apenas o trabalho de conseguir colocar no papel.

Só gostaria de adicionar, para os curiosos, que este projeto (ainda em andamento) deverá possuir seis volumes, dos quais três já estão escritos. O primeiro tem o tamanho de Gêmeos.Virtuais, o segundo é um pouco menor e o terceiro tem o dobro do tamanho do segundo. Esse aumento foi proposital: antigamente eu escrevia quatro laudas por capítulo, era minha média, minha maneira de controlar o volume do trabalho final (não acho que devamos nos prender a isso, mas também não gosto muito quando vemos um livro onde um capítulo tem 10 páginas e o outro tem apenas uma, acho desmedido), porém, com o passar do tempo eu comecei ter a vontade de aprimorar minha habilidade de escrita, detalhar mais as cenas, saborear mais as palavras, então me determinei a escrever 8 páginas por lauda neste terceiro livro. Mas não vou me estender muito neste trabalho, pois já estaríamos entrando em 2007, e ainda estamos em 2005.

Pela primeira vez eu tentava um concurso. Enviei um original de "Godboy" para o "Prêmio Mário Quintana". Eu estava verto de que venceria, pois achava que o teor da minha obra era atrevido e original. Nesse meio tempo, algo novo aconteceu nessa minha vida de NERD: eu comecei a namorar. Também não quero entrar nos detalhes mas, pelo bem e pelo mal, essa relação mudou minha vida. Sofri muito, mas agradeço a Deus pela experiência, pelo aprendizado e pelos bons momentos - que infelizmente não pesaram o suficiente para manter a relação.

Neste período conflituoso eu a escrevi diversas poesias, mas quem já passou por um fim de relacionamento sabe o que é ter vontade de esquecer tudo; e cada palavra que eu dediquei a ela eu apaguei da existência. Não sobrou nenhum e-mail, nenhum arquivo, nenhum cd... E não me arrependo, apesar de saber que certamente foram as melhores poesias que eu já criei. Mas assim como uma mandala feita de areia, eu fiz questão de desmanchar todos versos e reafirmar a inconstância da vida.

No entanto minha produção em prosa decaiu muito... Eu já havia terminado o primeiro livro daquele grande projeto, havia começado o segundo, mas não conseguia dar continuidade. Por diversos motivos, a história que eu já havia pensado em 2001 se assemelhava com os eventos que iam se desenrolando na minha vida e isso me atormentava.

No início de 2006 eu participei da X Coletânea Komedi. Komedi é a editora onde trabalhava a minha irmã e pela primeira vez minhas palavras foram publicadas oficialmente. Escolhi 4 poesias e recebi um dúzia de exemplares para distribuir para os conhecidos. A experiência foi muito gratificante e eu aproveitei a oportunidade para divulgar o Gêmeos.Virtuais.

Após a negativa do concurso eu resolvi pegar meus livros e criar um selo independente, mas virtual! Abri uma página no extinto Geocities (da Yahoo!) e fundei o "Odacon137 - Selo Artesanal de Produções Literárias" (ou algo parecido). No site, que era leve para carregamento e tinha como imagem de fundo uma folha de papel amassada, havia uma explicação da minha ideia em publicar meus livros gratuitamente e minhas duas únicas obras completas a ponto de divulgar: "Gêmeos.Virtuais" e "Godboy - O Garoto Deus", ambas na íntegra, postadas em capítulos, para fácil navegação.

Na época eu estava completamente desiludido com o mercado literário e via como uma coisa negativa publicar meu livro e ter que acabar fazendo pessoas engoli-lo. Via-me competindo com autores de nome de modo que eu nunca encontraria meu espaço... Lembro-me até hoje de uma imagem que criei para meu selo independente: "Era como ter uma humilde barraca de artesanato em uma grande e complexa feira, seria difícil de encontra-la, mas aqueles que viessem a conseguir, talvez se sentissem satisfeitos com os produtos".

Enfim, precisei de quase 2 anos para digerir tudo isso e finalmente decidir publicar. É que eu nunca imaginaria que conseguiria economizar dinheiro para poder realizar este sonho por mim mesmo.

No final de 2006, eu já estava com essas duas obras registradas na biblioteca nacional, cuidava do meu "Selo" independente com carinho e terminava o segundo livro daquele projeto vagarosamente, mas 2007 e 2008 reservavam algumas outras surpresas para mim... Na parte 4, veremos: Tornando-se Real.