quarta-feira, 21 de março de 2012

Relendo e reescrevendo...

morguefile.com
Hoje meu trabalho foi de revisão nas cinco páginas que consegui escrever até agora (não sei ao certo, pois estou usando uma fonte maior para não cansar muito a vista).

É interessante poder ler, fazer pequenos (ou médios) ajustes e se sentir satisfeito com o progresso da escrita. É também uma boa maneira de verificar seu vocabulário e evitar ser prolixo, tanto nas palavras como na forma de escrever... O que não é nada fácil. Bom, cinco (?) páginas... Já alcançou o tamanho exato do apêndice sobre a infância de Alef. Como eu "temia" certamente ficará maior. Temer não é bem a palavra, certamente tenho muito mais coisas a contar agora e também não tenho um limite de páginas como havia na coletânea. Embora minha maior preocupação (apesar de boba e talvez infundada) seja não manter um padrão de tamanho para os capítulos: quase todos os capítulos de Gêmeos.Virtuais são curtos, tendo em média quatro ou cinco páginas em A4 (chegam a seis ou sete no formato do livro).

Não tenho uma boa impressão quando o escritor "tem que" escrever mais do que o normal para contar uma história, digo... Gosto que haja um equilíbrio, uma média. Quando os capítulos da história vão crescendo, ou o volume dos livros de uma saga vão ficando maiores, dá a impressão de que eventos desnecessários estão sendo registrados ou que o autor não achou uma maneira mais simples de contar sua história. Não que tenha que ser simples, pois não é só um enredo, um roteiro, uma história, é entretenimento e arte, vale também como se conta a história... Mas não é fácil achar um equilíbrio entre um leitura rica e uma leitura complexa, digo, acho que a leitura deve ser rica, mas simples ao mesmo tempo...